quinta-feira, 17 de março de 2016

Uma Carta Para Um Grande Amor

Aos poucos você vai se acostumando com a ausência consentida... 
Todavia, o tempo passa, e  sente que permanece no mesmo lugar de origem, pois o sentimento subsiste tão intenso como quando reconheceu o primeiro olhar, o primeiro sorriso, a primeira conversa sobre Austrália ou sobre qualquer coisa sem importância. Olha-se no espelho e se enxerga como alguém forte - como alguém de muitas artes e de nenhum temor, ao mesmo passo que se envergonha da extrema covardia de não ter dito três palavras. 
Quando escuta uma música, ou assiste um filme, percebe o quanto tem medo de nunca mais ter a oportunidade de dizer essas palavras, mesmo sabendo que a reciprocidade a elas seria mínima, mas isso não importa! Deveria tê-las pronunciado ainda sim:
Eu Te Amo

Amo tudo em você. 
Amo seu jeito alegre e leve de ser. 
Amo a criança linda que tem dentro de si e que se reflete nos seus olhos. 
Amo a forma que "limpa" o nariz quando gripado. 
Amo a maneira como se esforça em seu semblante para não ri antes de terminar uma piada (geralmente boba). 
Amo suas fragilidades, suas carências, sua garra, inteligência e todo seu jeito único e especial que te faz ser quem é. Amo seu sorriso, seu olhar, seu cheiro de roupa limpa e baunilha, seu corpo. 
Amo até o que fisicamente seria visto como imperfeição: o espaço entre seus dentes da lateral esquerda da arcada dentária, todas as sardinhas que tem nos ombros e peito, em especial, aquela sardinha sabe? Que é maior e fica no peito esquerdo? Amo sua barriguinha saliente e branca - e por falar nisso, você é bem branquelo, rs! 
Amo tudo! Todas suas singularidades de forma irrestrita e imparcial.
Sabe, precisa mesmo de muita coragem para dizer o que sente, mas precisa de mais coragem ainda para conviver com as palavras e sentimentos não ditos. O momento simplesmente foi embora, quando achamos que haverá outra chance.
Não disse! Não disse e pronto! 

Tive medo do que sentia! Na verdade, descobri que nunca havia tido tanto medo na vida. Acho que só não queria me sentir como estou me sentindo agora ao escrever: vulnerável.
Eu não sei... 

Eu não sei porque passei tanto tempo fingindo que não sentia nada! 
E quando não se tem a capacidade de assumir para si mesmo, fica impossível não continuar a encenar seu papel ilusório de coadjuvante na história. Então, em um dia comum, sua irmã falando sobre sentimentos, e você desarmado diz de forma tão singela e inconsciente que o amava e cita a mesma lista peculiar já escrita acima para justificar o porquê, e ela te pergunta:
" Por que não disse isso a ele?" 
E a única resposta que tem é:
" Eu não sei."
Tive medo de que se afastasse. Tive medo de ouvir: " Me sinto lisonjeado por isso" (que inclusive é uma frase que usa com frequência) ou um simples: " Obrigado por me amar!" 

Tive medo sim! Eu também nunca disse que amava ninguém, poxa! Não chamam a gente na escola e ensina como se faz/diz isso.
Quando se está apaixonado (sendo correspondido e acreditando amar) dizer eu te amo se torna a coisa mais fácil do mundo. Entretanto, o amor é brando, sutil - tão simples que é impossível precisá-lo ou perceber sua chegada. O amor é o desejo da felicidade ao outro, a total entrega, na qual não existe, em absoluto, nenhum tipo de sentimento medíocre ou egoísta. Você deseja o bem, mesmo que isso não aconteça ao seu lado. Enxerga o bem amado mais valioso feliz, e senti-se recompensado e ainda pensa: Se estiver feliz com tal pessoa, não existe no mundo ninguém com quem deveria estar que não seja ela.
Se lembrará dos sorrisos, sensações, das conversas, da química forte, da alegria, cumplicidade. Se lembrará dos e-mails, olhares e gestos subliminares trocados, os quais faziam parte apenas do nosso mundo, uma linguagem secreta entendida apenas por nós. Lembrará de tudo aquilo um dia compartilhado e terá saudade, mas não dor. Não sentirá dor por não ser, por não mais haver, por não mais estar ... Sentirá, em última análise, a inquietude de não ter dito que reza mais por ele do que por si mesmo, que transcende luz e amor todas as vezes em que ele preenche seus pensamentos, o quanto se preocupa em saber como está e se passa bem. Sentirá inquietude por não dizer o quanto o ama e o quão puro é esse sentimento dentro de você e que a ele está direcionado.

Meu caro amigo, você foi muito amado por mim.

Por L. D. Alves


Postagens populares

Pesquisar neste blog